50 TONS DE VITALIDADE

27.09.2017 em Novidades e Inspirações.
Autor do post: Lila Guimarães, jornalista e colaboradora da Donato.

Já faz um tempo, os cabelos grisalhos andam fazendo sucesso nas ruas e nas passarelas. Até quem ainda não entrou na terceira idade está aderindo os muitos tons de cinza da maturidade. Há também quem prefira o branco total, seja descolorindo artificialmente os fios ou deixando a natureza agir tranquilamente. Tudo é uma questão de gosto na apropriação de novas referências de beleza que, aliás, são muito bem-vindas!

Teresa Fittipaldi desfila para Gloria Coelho na São Paulo Fashion Week, foto Ze Takahashi, FOTOSITE

Quando, especialmente, as mulheres assumem seus cabelos brancos – muitas delas grandes personalidades da moda como a editora da Vogue britânica Sarah Harris – parte desse comportamento pode ser lido como um manifesto de libertação. Afinal, transformar um sinal do tempo em estilo transgride toda a relação com o verbo envelhecer.

A jornalista francesa Sophie Fontanel aproveitou o tema para escrever o livro recém-lançado Une apparition e compartilhou abertamente o processo natural de transformação da sua aparência nas redes sociais (vejam seu Instagram aqui!). No último São Paulo Fashion Week, Gloria Coelho e Ronaldo Fraga elencaram modelos de todas as idades e tipos para apresentar suas coleções em dois desfiles que marcaram a semana de moda mais badalada do país.

Talvez essas sejam provas de que a ditadura da beleza jovem anda ameaçada pelo valor da experiência e por novos padrões e estilos que a maturidade sugere. Não à toa, também percebemos uma presença maior de atores e modelos maduros nas campanhas publicitárias em papeis diversos, não só no lugar de avós. Essa tendência de mercado, além da moda, fala de uma geração que está muito mais ativa e inspiradora nos dias de hoje.

Numa entrevista publicada no independente MECA Journal, o criativo nova-iorquino Michael Ventura, envolvido em uma série de campanhas de sucesso dá o tom do momento: “A glorificação da juventude é história, mas estamos diante de uma virada. Marcas estão apostando em modelos mais velhos. A Gucci escalou Vanessa Redgraves, de 79 anos, para sua campanha, e a Saint Laurant apostou em Jane Birkin.”

A atriz e cantora Jane Birkin, aos 69 anos, para Saint Laurant, em 2016

A cantora e artista plástica canadense Joni Mitchell, aos 72 anos, para Saint Laurent, em 2015

“Não há idade para ser ousado, arriscado e criativo. Beleza é mais que um número e já era hora da publicidade perceber isso. Algumas das melhores e mais brilhantes pessoas que eu conheço são mais velhas e sábias do que eu”, arremata Michael.

Neste coro também entram marcas nacionais como a Natura com o novo conceito #velhapraque, com fotos e filmes evocando um novo olhar para as pessoas consideradas mais velhas. A campanha não levanta apenas uma quebra de padrão de beleza, mas uma desmistificação saudável em torno da vida e das experiências na terceira idade.

Ainda no território da beleza, a revista Allure acaba de anunciar que não vai mais usar o termo anti-aging (anti-idade) e que pensar diferente sobre envelhecer começa com uma nova forma de falar sobre o assunto. A editoria ressalta que não há o que combater, já que o processo é natural e deve ser apreciado. A mudança de vocabulário, claro, não significa que os tratamentos com retinol ou outras substâncias sairão de pauta, é apenas uma posição conceitual intimamente ligada ao momento atual.

Capa de setembro da Allure com Helen Mirren

Para reforçar a ideia, a Allure estampou a sua capa de setembro com a atriz britânica Helen Mirren, hoje com 72 anos, em plena vitalidade e beleza. Acompanhando o ensaio clicado pelo fotógrafo de Scott Trindle, a atriz conta em entrevista que se irrita quando as pessoas a tratam pela idade ou valorizam o fato de não ser jovem.

Ainda bem, Helen, que isso está mudando e que estamos vivendo um deslocamento de olhar sobre o potencial inspirador das pessoas mais experientes. Por questões mercadológicas ou não, toda essa valorização aponta para um caminho muito mais feliz para esta e as próximas gerações e é também o resultado positivo de uma palavra que não deve sair de uso, a longevidade!

Links relacionados

Revolução grisalha, matéria da IstoÉ

Assitam o vídeo com a campanha da Natura

Leiam a declaração da Allure sobre o termo anti-idade

Vejam o ensaio de Helen Mirren e a entrevista completa

Matérias recentes

A arte de viver e a artesania de viajar

Um encontro com o puro sabor do vinho siciliano

Matérias relacionadas

UM BRINDE A TUDO O QUE PASSOU E AINDA VIRÁ!

"No meio do inverno aprendi por fim que há em mim um verão invencível", a frase da escritora Isabel Allende pareceu perfeita para começarmos uma reflexão sobre o fim do ano. Estamos chegando naquele momento que é fim, mas também início e parte de um ciclo que está sempre em renovação.

DE REPENTE 60!

Uma reflexão sobre o tempo que passa sem a gente perceber e as possibilidades hoje em dia na fase mais plena da maturidade.

O QUE ENSINAR AOS MAIS NOVOS?

O que ensinar aos mais novos enquanto aprendemos juntos uma outra consciência sobre envelhecer nos diferentes momentos da vida? A proposta é: vamos nos olhar frente a frente e imaginar um espelho entre nós que mostra uma das poucas verdades da vida. Criança ou adulto, jovens ou velhos, todos estão no mesmo processo.

Ver todos os posts

Para participar com seus relatos, fotos ou sugestões de assuntos e viagens, por favor envie um e-mail para [email protected]