Blog

50 TONS DE VITALIDADE

27 de setembro de 2017 em Novidades e Inspirações. Escrito por Lila Guimaraes.

Já faz um tempo, os cabelos grisalhos andam fazendo sucesso nas ruas e nas passarelas. Até quem ainda não entrou na terceira idade está aderindo os muitos tons de cinza da maturidade. Há também quem prefira o branco total, seja descolorindo artificialmente os fios ou deixando a natureza agir tranquilamente. Tudo é uma questão de gosto na apropriação de novas referências de beleza que, aliás, são muito bem-vindas!

Teresa Fittipaldi desfila para Gloria Coelho na São Paulo Fashion Week, foto Ze Takahashi, FOTOSITE

Quando, especialmente, as mulheres assumem seus cabelos brancos – muitas delas grandes personalidades da moda como a editora da Vogue britânica Sarah Harris – parte desse comportamento pode ser lido como um manifesto de libertação. Afinal, transformar um sinal do tempo em estilo transgride toda a relação com o verbo envelhecer.

A jornalista francesa Sophie Fontanel aproveitou o tema para escrever o livro recém-lançado Une apparition e compartilhou abertamente o processo natural de transformação da sua aparência nas redes sociais (vejam seu Instagram aqui!). No último São Paulo Fashion Week, Gloria Coelho e Ronaldo Fraga elencaram modelos de todas as idades e tipos para apresentar suas coleções em dois desfiles que marcaram a semana de moda mais badalada do país.

Talvez essas sejam provas de que a ditadura da beleza jovem anda ameaçada pelo valor da experiência e por novos padrões e estilos que a maturidade sugere. Não à toa, também percebemos uma presença maior de atores e modelos maduros nas campanhas publicitárias em papeis diversos, não só no lugar de avós. Essa tendência de mercado, além da moda, fala de uma geração que está muito mais ativa e inspiradora nos dias de hoje.

Numa entrevista publicada no independente MECA Journal, o criativo nova-iorquino Michael Ventura, envolvido em uma série de campanhas de sucesso dá o tom do momento: “A glorificação da juventude é história, mas estamos diante de uma virada. Marcas estão apostando em modelos mais velhos. A Gucci escalou Vanessa Redgraves, de 79 anos, para sua campanha, e a Saint Laurant apostou em Jane Birkin.”

A atriz e cantora Jane Birkin, aos 69 anos, para Saint Laurant, em 2016

A cantora e artista plástica canadense Joni Mitchell, aos 72 anos, para Saint Laurent, em 2015

“Não há idade para ser ousado, arriscado e criativo. Beleza é mais que um número e já era hora da publicidade perceber isso. Algumas das melhores e mais brilhantes pessoas que eu conheço são mais velhas e sábias do que eu”, arremata Michael.

Neste coro também entram marcas nacionais como a Natura com o novo conceito #velhapraque, com fotos e filmes evocando um novo olhar para as pessoas consideradas mais velhas. A campanha não levanta apenas uma quebra de padrão de beleza, mas uma desmistificação saudável em torno da vida e das experiências na terceira idade.

Ainda no território da beleza, a revista Allure acaba de anunciar que não vai mais usar o termo anti-aging (anti-idade) e que pensar diferente sobre envelhecer começa com uma nova forma de falar sobre o assunto. A editoria ressalta que não há o que combater, já que o processo é natural e deve ser apreciado. A mudança de vocabulário, claro, não significa que os tratamentos com retinol ou outras substâncias sairão de pauta, é apenas uma posição conceitual intimamente ligada ao momento atual.

Capa de setembro da Allure com Helen Mirren

Para reforçar a ideia, a Allure estampou a sua capa de setembro com a atriz britânica Helen Mirren, hoje com 72 anos, em plena vitalidade e beleza. Acompanhando o ensaio clicado pelo fotógrafo de Scott Trindle, a atriz conta em entrevista que se irrita quando as pessoas a tratam pela idade ou valorizam o fato de não ser jovem.

Ainda bem, Helen, que isso está mudando e que estamos vivendo um deslocamento de olhar sobre o potencial inspirador das pessoas mais experientes. Por questões mercadológicas ou não, toda essa valorização aponta para um caminho muito mais feliz para esta e as próximas gerações e é também o resultado positivo de uma palavra que não deve sair de uso, a longevidade!

Links relacionados

Revolução grisalha, matéria da IstoÉ

Assitam o vídeo com a campanha da Natura

Leiam a declaração da Allure sobre o termo anti-idade

Vejam o ensaio de Helen Mirren e a entrevista completa

Matérias recentes

A arte de viver e a artesania de viajar

Um encontro com o puro sabor do vinho siciliano