PARA ALCANÇAR O EQUILÍBRIO DE CORPO E ALMA

11 de julho de 2018 em Novidades e Inspirações.
Escrito por: Priscila Esteves, publicitária e colaboradora da Donato.

Com tantos compromissos, prazos e tensões do dia a dia, é fácil sentir os efeitos do estresse em nosso corpo e mente. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 90% da população mundial sofre com esse sintoma, que pode ser também o gatilho para uma série de doenças. Cuidar do bem-estar é essencial, como todos já sabemos, mas chegou o momento de enxergarmos a saúde não apenas como a ausência da doença, e sim como um conjunto de pilares igualmente importantes.

Para conduzir seus pacientes ao equilíbrio físico, mental e espiritual-social, a Dra. Silvia Lagrotta*, especialista em Geriatria e Medicina do Exercício, é pioneira a trazer ao Brasil o conceito de Medicina do Estilo de Vida. A especialidade surgiu nos Estados Unidos e vem ganhando espaço no mundo todo ao mostrar como podemos, através dos nossos hábitos, prevenir, tratar e até mesmo reverter doenças. Com esses princípios, a Dra. Silvia desenvolveu o programa Take Care, que atua de forma interdisciplinar e envolve profissionais de diferentes áreas para que cada paciente tenha uma experiência personalizada às suas necessidades.

Com nome e sobrenome, essa nova Medicina nos parece um maneira mais humana de olhar para a saúde, de forma integral e particular ao mesmo tempo. Uma oportunidade para repensarmos nossas escolhas cotidianas e também uma chance a mais de reinventar uma vida mais saudável, mudando destinos e atingindo a plenitude!

Dra. Silvia Lagrotta Dra. Silvia Lagrotta

Conversamos com a Dra. Silvia Lagrotta, que nos conta mais sobre a Medicina do Estilo de Vida e como pequenas mudanças podem ser significativas para alcançarmos uma vida mais longeva e feliz.

BLOG Donato: A Medicina do Estilo de Vida é nova na América Latina, foi recentemente, em 2013, que você trouxe o conceito para o Brasil. Acredita que temos uma carência de tratamentos multidisciplinares como o que você propõe? E como está sendo a aceitação por parte dos brasileiros?

Dra. Silvia Lagrotta: A Medicina do Estilo de Vida é vista como a “medicina do futuro” por ter uma abordagem mais consciente na saúde integral do paciente. Muitas das especialidades médicas já possuem uma equipe multidisciplinar atuante, com nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, educadores físicos e até mesmo assistentes sociais e terapeutas ocupacionais. Mas, todas tratam as consequências das doenças. Já a nossa proposta é tratar as causas para prevenir tais problemas.

O brasileiro, por ser um povo “friendly”, procura sempre ter uma vida leve e repleta de bem-estar. Também percebemos que os moradores dos centros urbanos e capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, possuem um interesse maior em saúde e qualidade de vida.

BLOG Donato: Na sua clínica, no Rio de Janeiro, são oferecidos programas para todas as idades, entre eles, o Take Care. Quais são os principais pilares para um estilo de vida saudável desenvolvidos pelo programa? E como trabalham as necessidades pessoais de cada paciente na faixa etária da maturidade?

Dra. Silvia Lagrotta: Os principais pilares da saúde abordados e gerenciados na clínica são: alimentação equilibrada e baseada 90% em vegetais, legumes grãos e frutas, atividade física supervisionada, saúde do sono, gerenciamento de estresse, amor e suporte social e contato com a natureza.

O programa é todo personalizado. Quando o paciente entra para o programa, ele passa por diversos tipos de avaliação, faz exames de sangue com marcadores inflamatórios e um plano de tratamento com uma prescrição de Medicina do Estilo de Vida individualizada, elaborada para tratarmos o que está em desequilíbrio.

BLOG Donato: Vivemos em uma sociedade que costuma recorrer aos remédios como solução simples e imediata para qualquer problema. De que forma a Medicina de Estilo de Vida pode evitar o uso excessivo deles?

Dra. Silvia Lagrotta: Os medicamentos são apenas bengalas que usamos para tratarmos as consequências de um estilo de vida pobre e deletério. Quando mudamos de forma sustentada a nossa rotina, nos baseando em evidências científicas estruturadas em uma prescrição de Medicina do Estilo de Vida, retiramos o que causa o desequilíbrio, e os remédios simplesmente perdem sua função.

BLOG Donato: No programa Take Care, vocês acreditam em tratar as causas das enfermidades e não suas consequências. Mesmo assim, em alguns casos é possível revertê-las. Qual o papel da Medicina de Estilo de Vida na prevenção de doenças? No caso da reversão, poderia dar exemplos de como funciona?

Dra. Silvia Lagrotta: Para prevenir, reverter doenças e promover a saúde, o primeiro e mais importante passo é a consciência! Uma característica importante da especialidade é que, além de fazer o papel do médico tradicional (checando exames, ajustando medicações, etc), fazemos também o papel de “coach” em saúde, nós conduzimos o paciente no caminho contrário que ele fez para adoecer.

A reversão da doença acontece através da metilação do nosso DNA. Um processo natural do nosso organismo quando mandamos estímulos positivos para o nosso corpo. É como se pudéssemos “ligar”e “desligar” os genes que causam a doença. Além disso, temos “capinhas” de proteção na ponta dos nossos cromossomos chamadas Telômeros. Durante o envelhecimento natural e na doença, eles diminuem de tamanho. Quando retiramos os estímulos causadores das enfermidades, eles param de diminuir e voltam até mesmo a aumentar.

BLOG Donato: O grande propósito do programa é incentivar práticas saudáveis no próprio dia a dia, como fazer esportes e cuidar da nutrição, mas existem muitas outras atitudes simples que fazem toda a diferença em nossa busca pela saúde. Se você pudesse dar a dica de uma mudança de hábito que todos nós deveríamos aplicar em nossa vida hoje, qual seria?

Dra. Silvia Lagrotta: Tomar sol TODOS OS DIAS por pelo menos 20 a 30 minutos, trabalhar a aceitação e sempre ter um propósito de vida, independente de quantos anos você tenha.

BLOG Donato: Percebemos que a parte social também está bastante ligada à melhora da qualidade de vida, e a troca de informações entre diferentes pessoas e culturas faz parte disso. Para você, qual a importância das viagens para viver essas experiências?

Dra. Silvia Lagrotta: Viajar é fundamental e essencial para a longevidade e qualidade de vida. O isolamento social hoje aumenta em 40% a chance de se morrer precocemente. Quando viajamos, conhecemos pessoas novas, enfrentamos desafios, convivemos e saímos da nossa zona de conforto. A vida fica “colorida”.

* Formada em medicina, Dra. Silvia Lagrotta é membro efetivo da Sociedade de Geriatria e Gerontologia, da Sociedade de Medicina do Exercício e do Esporte e do Colégio Americano de Medicina do Estilo de Vida. Atua nas áreas de envelhecimento ativo e reabilitação através de assistência direta, além de ministrar aulas, cursos e palestras. Para quem quiser conhecer mais, aqui está o site da clínica Take Care BR: http://takecarebr.com.br/

Matérias relacionadas

50 TONS DE VITALIDADE

Já faz um tempo, os cabelos grisalhos andam fazendo sucesso nas ruas e nas passarelas. Até quem ainda não entrou na terceira idade está aderindo os muitos tons de cinza da maturidade. Há

LONGEVIDADE EM DIA: AS MELHORES ATIVIDADES PARA A MATURIDADE

Se cuidar da saúde sempre foi importante, na fase mais madura da vida os cuidados não precisam ser redobrados, apenas focados naquilo que o corpo mais precisa. Basta consultar um bom profissional da

PARA COMEÇAR O ANO COM O PÉ DIREITO E MUITA ENERGIA

Agora que o ano oficialmente começou e já retomamos as atividades normais, compromissos e tarefas, por que não colocar em prática também nossas metas de saúde para 2018? Se seu objetivo para este ano

Ver todos os posts

Para participar com seus relatos, fotos ou sugestões de assuntos e viagens, por favor envie um e-mail para [email protected]