UM PEDACINHO SURPREENDENTE DA EUROPA

19.01.2018 em Viagens e Destinos.
Autor do post: Priscila Esteves, publicitária e colaboradora da Donato.

Uma grande motivação para conhecer um destino pode ser justamente o fato de ele não ser tão conhecido. Adicionar originalidade a um roteiro pela Europa é a premissa de uma pequena e surpreendente ilha chamada Malta.

Se você ainda não ouviu falar desse lugar, não é única pessoa a se surpreender com o que ele tem a oferecer. No Mar Mediterrâneo, a cerca de 90 km da costa italiana, Malta é um refúgio para os amantes de arte e cultura, mas também é ideal para quem busca cenários naturais maravilhosos.

Um passado de influências

O clima hoje tranquilo de Malta guarda um passado bastante agitado. Acredita-se que a região é habitada desde os tempos pré-históricos, tendo sofrido sucessivas invasões de diferentes povos por conta da sua localização estratégica no Mar Mediterrâneo. Cada um deles deixou suas influências, responsáveis por compor a rica cena cultural da ilha ao longo dos séculos.

Os fenícios trouxeram a escrita, o comércio e batizaram a ilha com um nome de grande significado: refúgio seguro. Foi exatamente essa a primeira função de Malta, um abrigo que reunia o intenso comércio da região em portos cercados por águas cristalinas. Depois disso, fez parte do Império Romano e também foi colonizada por árabes, franceses e ingleses. Caminhar pelas ruas de Malta é prova da influência árabe na arquitetura, que nos faz sentir um pouco do norte da África e do Oriente Médio.

porto valtetta valeta malta  Vista do porto de Valletta, em Malta

construção construções malta  Construções em Malta lembram cidades do Oriente Médio e norte da África

A proximidade com a Itália traz costumes similares, como festivais animados e o amor pela boa culinária. Já os ingleses tem participação na história mais recente da ilha, que foi sua colônia durante 150 anos, e deixaram como legado em Malta a infraestrutura e ótimas escolas.

Aos aficionados por história, são muitos os assuntos para se aprofundar. E para os amantes de viagens, selecionamos alguns motivos preciosos do porquê Malta vale uma visita.

Pequena em extensão, rica em cultura

Na realidade, o que costumamos chamar de Malta é uma das três ilhas habitáveis que compõem o arquipélago, sendo essa a maior e onde grande parte da população se concentra. Juntando todas as suas ilhas, não passam de 316 km² em extensão. Mas o que falta em tamanho é compensado em atrativos, como templos magníficos, antigas fortalezas, fontes e museus.

É impressionante como o destino concentra tantos monumentos históricos em poucos quilômetros. Um exemplo é a capital, Valletta, que é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO e onde podemos conhecer lugares importantes como a Catedral de São João (com quase 500 anos de história) e os maravilhosos Jardins Barrakka a uma curta caminhada entre um ponto e outro.

catedral são joão valletta valeta  Catedral de São João, em Valletta

jardins Barrakka valetta valeta malta  Em Valletta, os jardins Barrakka com vista para o mar

Essa é uma das vantagens de estar em um dos menores países da Europa, é fácil conhecer seus pontos principais sem precisar fazer trajetos exaustivos.

Sol o ano todo   

A localização no Mediterrâneo é responsável por um clima que agrada bastante aos brasileiros. Mesmo no inverno, o frio não é tão intenso como em outras partes da Europa. O verão é bem quente, por isso, uma dica é evitar Malta nos meses de junho, julho e agosto, quando o calor atinge seu ápice e praticamente não há chuva. Esse período também é de alta temporada e a ilha fica mais cheia.

Meses como setembro e outubro são os mais recomendados para um clima ameno e ainda agradável para curtir o litoral. Aliado a isso, a ilha está mais vazia e é possível aproveitar as atrações com tranquilidade. De forma geral, Malta tem um céu azul e ensolarado o ano todo, raramente tem dias muito chuvosos ou nublados. Essa combinação é ótima para passeios ao ar livre, como para a reserva natural Dingli Cliffs (ponto mais alto da ilha com uma vista privilegiada), a cativante Gruta Azul e uma sucessão de praias lindas para mergulhar.

litoral valletta valeta  Litoral de Valletta em um dia ensolarado

gruta azul malta mediterrâneo  Gruta Azul no Mar Mediterrâneo

malta Dingli Cliffs Reserva natural Dingli Cliffs

Povo acolhedor e comunicativo

As influências de diversos povos resultaram em cidades cosmopolitas e habitantes com facilidade em se comunicar. Apesar da língua oficial ser o maltês (de origem árabe), por conta da colonização britânica cerca de 90% da população fala muito bem inglês, já o italiano é falado por dois terços da população e o francês também pode ser entendido na ilha. Os malteses estão acostumados a conviver com turistas de várias partes do mundo, então visitar o país tem a garantia de uma recepção de braços abertos!

Excelente gastronomia

A culinária de Malta é muito saborosa, especialmente para quem aprecia os pratos mediterrâneos. Peixes e mariscos são abundantes, além de molhos e sopas ricos em temperos. Com os italianos aprenderam receitas de massas e as adaptaram para os costumes locais, destaque para as lasanhas que costumam levar carne. Os malteses também adoram queijos e doces turcos, como pastéis e frutas típicas do Oriente. Refeições bem servidas e aperitivos gostosos não vão faltar em uma pausa pelas ruas de Malta!

Mediterrâneo fora das rotas tradicionais

O Mar Mediterrâneo é sinônimo de águas límpidas e belezas naturais preservadas, motivo pelo qual caiu no gosto de tantos viajantes. Alguns nomes saltam à memória quando pensamos em roteiros para a região, como a ilha da Sicília (no Sul da Itália) que também costuma receber viagens de foco cultural, por conta de seus monumentos históricos, e gastronômico – por motivos óbvios!  As ilhas gregas, como Santorini e Mykonos, são outros destaques com praias de um visual verdadeiramente paradisíaco, assim como a badalada Ibiza na Espanha.

A lista de ilhas mediterrâneas é grande, mas, acredite, só existe uma como Malta. Com atrativos variados, é um destino completo e onde podemos encontrar um pouco de cada povo que por lá passou. Seja em seus pratos com combinações únicas, imenso patrimônio cultural e histórico, clima favorável ou povo hospitaleiro, esse pedacinho da Europa existe para nos surpreender!

 

+ Veja a programação da Donato para Sicília e Malta em setembro de 2018, com o acompanhamento da professora de História da Arte Anamelia Bueno Buoro

+ Conheça a trajetória da professora Anamelia 

+ Entrevista com a professora Anamelia, uma prévia do que veremos no roteiro para Sicília e Malta

+ Como foi nossa visita ao Sul da Itália em 2017

 

Matérias relacionadas

VIAGENS SONHADAS

De criança, nas férias na fazenda de meu pai, Suely e eu sonhávamos com as viagens que faríamos juntas. E desde lá viajamos muito, com Qamal, com a Donato Viagens, nossos filhos, sobrinhos e tantos amigos, por cantos os mais diferentes no Brasil e no Mundo. Destas experiências familiares e pessoais, tão gostosas e ricas, e das nossas experiências profissionais, sem percebermos foi sendo criado um projeto conjunto: “Europa e Arte”.

A ALMA POÉTICA DA PROVENCE

Alguns destinos têm um encanto indiscutível, um certo charme que conseguimos sentir mas não descrever em palavras. A Provence é um deles! Parece que nem a mais fiel fotografia pode transmitir sua verdadeira atmosfera poética.

O MEDITERRÂNEO COM UMA PITADA DE HISTÓRIA E OUTRA DE ARTE

Em setembro estamos de partida em para um dos roteiros mais deliciosos pelo Mediterrâneo. Vamos às fantásticas ilhas Sicília e Malta! Por isso, falamos com a professora de História da Arte Anamelia Bueno Buoro e ela nos conta um pouco mais sobre a magia dessa região cheia vida, história e arte.

Ver todos os posts

Para participar com seus relatos, fotos ou sugestões de assuntos e viagens, por favor envie um e-mail para [email protected]