MEU TEMPO NO MUNDO – DE BEM COM A NOSSA GRANDE CASA

29.08.2018 em Novidades e Inspirações.
Autor do post: Lila Guimarães, jornalista e calaboradora da Donato.

Para uma trajetória de vida permeada por altos e baixos, a sabedoria de manter o astral lá em cima pode parecer mágica ou algo impossível. A professora de Português e Literatura, Marly Vidal, encontrou sua fórmula particular de contornar o imponderável e cultivar intensamente os momentos de alegria. Sobre isso e mais um pouco, conversamos recentemente para nossa série de entrevistas com quem nos inspira MEU TEMPO NO MUNDO.

MEU TEMPO NO MUNDO MARLY VIAJANTES DONATO VIAGENS

Marly Vidal em foto por Victor Affaro

“Eu tenho uma alegria que não me deixa mesmo nos momentos mais trágicos da minha vida, como foi a morte de um dos meus filhos. O que aconteceu foi indecente, muito doloroso e mesmo assim eu encontrei um motivo para viver. Eu tinha outro filho e tinha a minha vida, que é um privilegio sem igual e tem que ser vivida. Não é fácil, mas a gente tem que alimentar a chama da vida! Como alimentar essa chama? Eu gosto de mim, já cheguei a essa conclusão, e também gosto de muitas coisas como ir ao cinema, trabalhar, conversar, viajar, ler. Eu arranjei uma forma de viver assim. Durmo de madrugada, enquanto o mundo está parado estou com as luzes e as ideias acesas” nos contou Marly logo no início da entrevista.

“Tristeza não paga dívida, então temos que deglutir os problemas, não se amargurar e nem se apegar aos traumas. É importante reconhecer quando precisamos de ajuda, que não temos condição de lidar com a vida sozinhos e isso é natural. Pedir ajuda médica ou de amigos, mudar o foco, fazer algo novo, sair de casa”, completou. Para ela, sair de casa não se resume a uma volta no parque ou visitar um museu, como também adora fazer.

Parte da sua vida é dedicada às viagens, uma paixão antiga, que nasceu numa aula de Geografia quando tinha 8 anos. “A professora mostrou o globo e apontou onde estávamos, em São Paulo. Com uma varetinha de madeira foi passeando por todo o mapa. Atravessamos juntos o Oceano Atlântico e fomos parar em Lisboa, depois na Rússia e eu pensei é lá onda mora Dostoiévski e os irmãos Karamazov, personagens do romance que meu pai já tinha lido pra mim. Terminou a aula, fui para casa e não conseguia nem comer. Aquilo mexeu comigo.”

O episódio, sem dúvida, foi o grande ponto de partida para sua trajetória marcada por viagens inesquecíveis e alimento para seu espírito naturalmente desbravador. A cada ano, desde que começou a viajar, Marly elege um ponto do globo para conhecer. “Minha professora ainda se referia ao planeta Terra como a Nossa Grande Casa! Entendi logo que a Nossa Casa não era só o Brasil e isso foi se desdobrando na minha vida. Eu fui uma menina pobre, minha família era de fazendeiros que perderam tudo na crise de 29, mas cresci com esse sonho. Demorei 30 anos para ir à Europa e ela me seduziu. Sou eurocêntrica, não é bom, mas se me perguntarem qual o lugar mais bonito do mundo eu sempre vou dizer que é a Europa. Já fui pra outros lugares como África, território de escritores que admiro como Mia Couto, Canadá, Alasca e também conheço bem a América do Sul. É uma delícia andar por essa Nossa Grande Casa”, concluiu, e, por aqui, a gente só pode concordar, é claro!

Leiam mais sobre a série MEU TEMPO NO MUNDO aqui! 

Vejam a seguir um trecho da entrevista da Marly Vidal:

 

Matérias relacionadas

MEU TEMPO NO MUNDO – NÃO SOMOS MAIS OS MESMOS

Um casamento de 45 anos vem acompanhado por muitas mudanças e renovações constantes. José Ernesto e Neusa Lourenço são os protagonistas dessa história que nos inspirou durante uma conversa para a nossa série de entrevistas MEU TEMPO NO MUNDO!

MEU TEMPO NO MUNDO – FELICIDADE E NOVAS MOTIVAÇÕES

Há 20 anos, Antônio Carlos Cunha e Judith Rebouças se encontraram e juntaram seus filhos numa grande família. O casal tem o bom humor como um aliado no dia a dia e com isso passa a vida em busca das melhores oportunidades de sentir a alegria com escolhas maduras e conscientes. Descobrimos mais inspirações com eles na entrevista para a série MEU TEMPO NO MUNDO!

MEU TEMPO NO MUNDO – A CURIOSIDADE QUE ME MOVE

Dizem que o nosso pior defeito é também a nossa melhor qualidade, ou vice-versa. Para quem tem a ansiedade correndo solta pelas veias, esse pensamento faz muito sentido. Em entrevista para nossa série MEU TEMPO NO MUNDO, o médico José Gilberto Macedo fala sobre o seu entusiasmo com a vida!

Ver todos os posts

Para participar com seus relatos, fotos ou sugestões de assuntos e viagens, por favor envie um e-mail para [email protected]