Se os 50 são os novos 30, nesta geração, então a terceira idade é também uma parte da vida cheia de promessas e possibilidades.

DE REPENTE 60!

Escrito por: Lila Guimarães, jornalista e colaboradora da Donato.

Como um filme que passa sem a gente perceber, a vida também é uma surpresa que de repente nos mostra no espelho a conta dos anos já vividos. Me lembro quando notei os primeiros sinais do tempo no rosto da minha mãe, uma mulher linda, ativa e vaidosa. Pensei em como seria passar pelas transformações físicas e emocionais vindas com a idade. Fiquei na dúvida se ela poderia sentir medo ou nutrir algum sentimento negativo ao envelhecer. Queria saber o que afinal enxergava através da sua imagem, agora com marcas e um aspecto diferente. Foi uma conversa rápida, esclarecedora e marcante. Foi a minha iniciação no assunto, eu que ainda nem cheguei aos 40 e até então nunca tinha pensado sobre o tema.

A serenidade da resposta breve e segura que recebi ficou na minha cabeça e tranquilizou meu coração, que estava preocupado com ela e, claro, com o meu futuro também. “Eu só percebo que o tempo passou quando me olho no espelho e vejo que meu rosto mudou. Às vezes me sinto uma menina, com os mesmos medos, encanações e sonhos. Quando me lembro que tenho mais de 60 anos nem acredito e acho graça! Envelhecer é natural e traz as mudanças que precisamos para amadurecer a consciência”, ela disse e sorriu. Era o que eu precisava ouvir para desmistificar a ideia de que envelhecer é uma fase apenas difícil.

Nem todos têm a oportunidade de aproveitar a longevidade e os benefícios que a maturidade traz para a vida, eu sei. Mas, com a luz das palavras da minha mãe em meus olhos, passei a encontrar outros exemplos de pessoas que vivem intensamente e plenamente essa fase.

Recentemente em Madrid, a escritora Isabel Allende no lançamento do seu livro “Além do Inverno” estava feliz da vida falando sobre os temas centrais do romance: alegria, reinvenção e esperança. Foi impossível esconder o entusiasmo do momento acompanhado por uma intensa novidade na vida pessoal. Aos 75 anos, ela está apaixonada de novo e vivendo um grande amor! Agora, os quatro cantos do mundo já sabem!

Platão falava da velhice como uma época de harmonia, prudência, sensatez, astúcia e juízo. No entanto, ideias e concepções incertas e até equivocadas em torno do verbo envelhecer até hoje se apresentam invariavelmente em comportamentos e discursos que não consideram a totalidade desse momento na vida. Olhando de perto e com muito carinho, é possível compreender que a idade madura é uma equação mais equilibrada do que se imagina. São tantas somas e ganhos quanto perdas. Para começar, a bagagem emocional e de informações faz dos mais velhos o que procuramos ser um dia. Toda a experiência de vida e o que viram das transformações do mundo são riquezas acumuladas que merecem ser compartilhadas.

Durante a história da humanidade, os conceitos sobre envelhecer mudaram constantemente. Nas antigas sociedades, principalmente nas primitivas, as tradições, a cultura e o saber vindos dos mais velhos eram cultuados e muito valorizados. Além de destaques em cargos políticos e privilégios como homens especiais, os mais velhos, ou os mais vividos, eram considerados patrimônios, guias dos rituais, práticas e filosofias que asseguravam o cotidiano daquele grupo.

Hoje, com um mundo cada vez mais plural e longevo, a terceira idade é uma faixa etária que abraça pessoas acima dos 60 anos, mas que vivem, muitas delas, como jovens ativos ainda no mercado de trabalho. Outros, mesmo não trabalhando mais, estão conectados com um estilo de vida cheio de novidades. Descobriram que depois de uma jornada longa de produtividade agora podem aproveitar o tempo livre para aprender a cozinhar, fotografar, ler sobre vinhos, pintar, viajar ou simplesmente estar em boa companhia. A terceira idade, tal como foi imaginada e concebida, na vida real é relativa, é apenas atestada na carteira de identidade e vivida de forma completamente pessoal e de acordo com os desejos de cada um.

Se os 50 são os novos 30, nesta geração, então a terceira idade é também uma parte da vida cheia de promessas e possibilidades. Existe uma parcela da maturidade economicamente muito potente, um dado que comprova atividades e interesses que estão sendo colocados em prática diariamente. Com os avanços na tecnologia, medicina e os novos olhares para a prevenção de doenças baseada na alimentação consciente e natural, a tendência é que a maturidade viva cada vez melhor, mais vigorosa e inspiradora!

Vai ser comum aquele susto de um dia acordar e perceber que, de repente, já temos mais de 60 e ainda tanto por viver! Como conta o escritor e cartunista Ziraldo, hoje com 85 anos, em entrevista à Folha de São Paulo: “A velhice é uma coisa que te acontece de surpresa. Eu fiquei velho em uma semana! Eu sempre digo que sou o adolescente mais longevo que já vi.” Ziraldo está trabalhando nos últimos livros da série “Os Meninos do Espaço” e ainda planeja lançar um livro com 500 desenhos evocando significados de nomes para meninos e meninas. Assim, eu vou até me acalmando e achando que nesta vida dá tempo sim para realizar tudo o que quiser!

Leiam mais sobre esse tema no post 50 Tons de Vitalidade